Canastra

Como a cultura de um povo pode agregar valor ao seu produto

A 2DA ajuda a colocar a Região do Queijo da Canastra no mapa, usando seu modo de vida e sua tradição queijeira para torna-la mais competitiva.

O cliente

Com uma tradição de mais de 200 anos na produção de queijo, a região da Canastra assistiu à generalização do nome queijo canastra que passou a ser identificado com queijo curado (qualquer queijo curado é chamado de canastra), além de enfrentar dificuldades para encontrar mercado, perdendo cada vez mais espaço para o queijo fresco e meia cura, devido ao seu tempo de maturação e valor mais alto.

A oportunidade

Diversos movimentos culturais estão modificando o comportamento das pessoas e guiando a preferência dos consumidores e sua forma de consumo. A estratégia encontrou nessas mudanças culturais – gourmetização, a busca por produtos “com alma” e por uma “volta às origens”, enxergando valor no que é feito de maneira artesanal, por determinada comunidade – uma oportunidade de elevar o queijo da Canastra a outro patamar.

A solução

Um longo trabalho de pesquisa com os produtores da região, os queijeiros, empórios e lojas de Belo Horizonte e São Paulo deram origem a uma estratégia que permitiu trazer o queijo da Canastra para o mesmo nível dos queijos estrangeiros, através da valorização do jeito mineiro, artesanal e simples de ser. Para expressar a estratégia, o primeiro passo foi definir um nome que diferenciasse os sete municípios que fazem parte da Indicação de Procedência Canastra. A identidade visual e verbal do projeto, o estilo fotográfico e uma web-série com histórias de 25 produtores deram luz à estratégia. Também foram planejadas ações de implantação do projeto que vêm acontecendo desde 2015 e seguirão até 2018.

Depoimentos

Os resultados

Os efeitos na região já são visíveis. A APROCAN, que no início do processo contava com apenas 10 produtores associados, hoje já conta com 60. E muitos se preparam para atender às exigências de produção para tornarem-se associados. O Queijo da Canastra dos produtores que tem o selo da APROCAN teve um aumento médio de 66%. Um novo mercado foi alcançado com a abertura de pontos de vendas mais nobres como empórios e restaurantes de alta gastronomia. Muitas famílias que haviam desistido, retornaram à produção dos queijos artesanais. E a valorização dos produtores e de seu produto na comunidade, aumentou muito o orgulho em fazer parte dessa história, dessa tradição, valorizando também a região.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp

Conheça outros cases